Em média 24 ligações clandestinas de energia são identificadas pela concessionária responsável pelo serviço no Tocantins todos os dias. De janeiro de 2017 a maio deste ano, foram 12.700 irregularidades localizadas em diversos municípios do Estado. A energia furtada seria suficiente para abastecer 22 mil casas. Quem paga a conta desse crime é toda a população. Segundo a concessionária cerca de 6% de cada fatura é destinado para cobrir os gastos ilegais provocados pela prática. Em 2018, 15 pessoas foram detidas ou presas pelo crime de furto de energia no Tocantins.