Os empréstimos consignados foram suspensos a servidores públicos do Tocantins, mas, horas depois, o Banco do Brasil reabriu a linha de crédito. A suspensão foi comunicada pelo Banco do Brasil no início da tarde, alegando que suspendeu a concessão dos empréstimos aos servidores públicos estaduais porque o Governo do Tocantins desrespeitou uma cláusula contratual. O banco não informou que cláusula é essa, mas quase no final do dia, voltou atrás e reabriu a linha de crédito, sem informar quais os motivos para esse bloqueio e desbloqueio acontecer. O Palácio Araguaia se posicionou, dizendo que não houve comunicado oficial da suspensão, mas quando tomou conhecimento tomou as providências para normalizar o serviço. O Governo também não comentou o que levou o Banco do Brasil a bloquear a concessão de linha de crédito. Esses problemas com empréstimos consignados não são novidade aos servidores públicos do Estado. Numa das suspensões que já aconteceu, o dinheiro foi descontado dos contracheques dos servidores, mas não havia sido repassado aos bancos. Esse problema já chegou até mesmo a levar o Ministério Público do Estado a denunciar os ex-governadores Sandoval Cardoso e Marcelo Miranda por improbidade administrativa. A medida foi tomada pelo MP no início de 2019, e a ação afirmava que entre 2014 e 2018 o Estado deixou de repassar para instituições financeiras mais de 122 milhões de reais descontados da folha de funcionários públicos, valores esses de empréstimos consignados.