Desde a última sexta-feira, várias instituições e serviços no Tocantins adotaram medidas de prevenção, como suspensão de aulas nas redes estadual e municipal de ensino e universidades e eventos. A UFT, Universidade Federal do Tocantins, suspende nesta segunda-feira, dia 16, às atividades acadêmicas, conforme comunicado postado no site da Universidade. Segundo a instituição, o comitê de governança se reúne para discutir as demais medidas em relação ao andamento das atividades técnico-administrativas e acadêmicas e que deverão ser apresentadas em um comunicado oficial. A medida de suspensão veio após um ofício protocolado pelo presidente do DCE, Diretório Central dos Estudantes da UFT, Gustavo Ferreira Amaral, que no documento reivindicava da Universidade a imediata suspensão das aulas de forma temporária, entre os dias 16 à 21 de março. O DCE ainda argumentou no Ofício que era necessário considerar os fatores de risco como: deslocamento por ônibus coletivo, participação dos alunos em estágios e em áreas de risco como hospitais, estações de transporte, aglomerações nos restaurantes universitários e retorno de professores e alunos de áreas de risco e grupos de risco como idosos participantes da UMA, Universidade da Maturidade. A Unitins, o IFTO, Ulbra e a Faculdade Católica do Tocantins também decidiram suspender as aulas entre os dias 16 e 20 de março. Na Capital, foram suspensos eventos e aulas na rede municipal de ensino por tempo indeterminado. Algumas escolas particulares também estão com as aulas suspensas, como Colégio Marista, Olimpo, Madre Clélia Merloni, Batista, COC e Dom Bosco. Na Rede Estadual de ensino, as aulas ficarão suspensas até esta sexta-feira, dia 20.  Outras prefeituras do interior como Miracema do Tocantins, Tocantínia, Araguaçu, Araguatins, Paraíso, Dianópolis, Riachinho, Filadélfia e Porto Nacional e Colinas, informaram que as redes municipais terão aulas suspensas pelo mesmo período da rede estadual.