A justiça tocantinense determinou o cumprimento de medida alternativa por um homem acusado de manter pássaros em cativeiro, em Peixe, na região sudeste do Estado. Segundo consta no processo, ele mantinha ilegalmente 33 canários em um viveiro distribuídos em cinco gaiolas. A justiça entendeu que ele cometeu crime ambiental porque não tinha licença para a criação dos pássaros. Em substituição à pena por crime ambiental o homem foi autorizado a fazer o pagamento de 20 palitos de alface, 10 pacotes de couve, 20 pacotes de coentro com cebolinha, cinco quilos de jiló e cinco quilos de quiabo ao Hospital Municipal de Peixe.