O Governador do Tocantins, Mauro Carlesse, do PHS, foi um dos 13 chefes de estado que assinou uma carta aberta contra o decreto do presidente, Jair Bolsonaro, que flexibiliza as normas para porte e posse de armas no país. A carta ressalta a preocupação dos governadores com o abrandamento das normas. Um dos trechos do documento diz “julgamos que as medidas previstas pelo decreto não contribuirão para tornar nossos estados mais seguros. Ao contrário, tais medidas terão um impacto negativo na violência – aumentando por exemplo, a quantidade de armas e munições que poderão abastecer criminosos – e aumentarão os riscos de que discussões e brigas entre nossos cidadãos acabem em tragédias.”. Ao lado de Carlesse, assinam a carta o Governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e os chefes dos estados do Maranhão, Pará, Amapá, Sergipe, Alagoas, Piauí, Pernambuco, Ceará, Paraíba, Espírito Santo, Bahia e Rio Grande do Norte.