Iolanda Costa Fregonesi de 22 anos foi denunciada pelo Ministério Público Estadual pelo atropelamento do médico Pedro Caldas, que ocorreu no dia 12 de novembro do ano passado. A promotoria  pediu a 1ª Vara Criminal de Palmas, que Iolanda, que já tinha sido indiciada pelo caso em janeiro e é suspeita de embriaguez ao volante e de dirigir sem habilitação, seja julgada por homicídio qualificado, contra Pedro Caldas e por tentativa de homicídio qualificado, contra Moacir Naoyuk Ito, que também foi atropelado. O promotor Lucídio Bandeira Dourado pediu a condenação da motorista.Ele defende que ela já havia se envolvido em outro acidente com vítimas e que na ocasião também estava embriagada e sem carteira de habilitação. O ginecologista Pedro Caldas de 40 anos morreu no dia 16 de dezembro de 2017, por causa de complicações no traumatismo craniano grave após ficar 34 dias em coma.