CBN Tocantins
SINDICÂNCIA | 16 de Maio de 2018
Conselho reabre investigação contra chefe do Ministério Público do Tocantins

O plenário do Conselho Nacional do Ministério Público aprovou o desarquivamento da sindicância contra o procurador-geral de Justiça do Tocantins, Clenan Renaut de Melo Pereira. Ele é suspeito de recomendar pagamentos para empresa suspeita de fraude.

A sindicância foi aberta em agosto de 2017, mas foi arquivada na época. O procurador-geral, segundo o conselheiro, é suspeito de envolvimento no desvio de recursos junto ao governo do estado após constatação de fraude em licitações.

 

Outro caso

Justiça determina bloqueio de bens e quebra de sigilo dos filhos de procurador

 

A justiça mandou bloquear os bens e quebrar o sigilo bancário dos filhos do procurador geral de justiça, Clenan Renault por suspeita de irregularidades em contratos envolvendo o município de Lajeado. O juiz também determinou a quebra do sigilo bancário e o bloqueio dos bens do escritório dos dois. Juliana Bezerra de Melo e Fábio Bezerra de melo são donos do escritório Melo e Bezerra e, segundo a justiça teriam recebido só esse ano mais de quatro milhões de Reais do município. De acordo com a justiça, o que o escritório de advocacia recebeu do município de lajeado é mais do que outros 119 municípios do estado recebem de arrecadação. No texto da medida cautelar que quebrou o sigilo bancário dos investigados e bloqueou os bens, o juiz faz uma comparação que indica que se o escritório fosse um município, ocuparia a 21 posição em arrecadação no estado só com o dinheiro que recebeu em Lajeado. Uma cidade onde 41,4% dos domicílios vivem com rendimento mensal de até meio salário mínimo. Procurado, o dono do escritório, Fábio Bezerra de Melo Pereira explicou que os contratos em questão foram aprovados pelo Tribunal de Contas do Estado e passaram pelo Tribunal de Justiça, que teria se posicionado pela legalidade da contratação.

 

Leia também

Publicidade
Enquete

Em que área você gostaria de mais atenção dos gestores públicos?

  • Saúde
  • Segurança
  • Cultura e Educação
  • Infraestrutura e estradas
  • Economia e empregos