Uma reunião entre representantes da Defensoria Pública do Estado, Ministério Público Estadual e da Sesau, Secretaria de Estado da Saúde, para tratar sobre o Programa Opera Tocantins, lançado pelo governo interino, que aconteceria nesta segunda-feira, foi adiada. A informação é da Assessoria de Comunicação do MPE e foi repassada à reportagem CBN Tocantins na manhã desta segunda-feira. A Sesau ainda não informou sobre o adiamento da reunião e se o programa será ainda executado. O Opera Tocantins, que funcionaria como uma espécie de mutirão de cirurgias eletivas, teria início nesta semana em todos os hospitais regionais do Tocantins com o intuito de zerar as filas de espera por este tipo de procedimento nas unidades hospitalares. Atualmente, 5.547 esperam por cirurgias eletivas no Estado. A especialidade com maior demanda é a Geral, com 1.669 pessoas. Em seguida, Ortopedia (1.035); Pediatria (984); Ginecologia (714), Cabeça e Pescoço (529), Urologia (438), Vascular (87), Mastologia (37), Otorrino (28), Plástica (24); Oncologia e Outros (2).